Início » Os 5 Melhores Violões Tagima em 2021

Os 5 Melhores Violões Tagima em 2021

Seja para quem está começando a tocar ou para músicos já experientes, a Tagima é sempre uma interessante opção quando o assunto é instrumentos de corda. Para você que busca um violão, preparamos este artigo especial sobre os melhores violões Tagima presentes no mercado. 

Fizemos uma lista com 5 modelos da marca de diferentes formatos e faixas de preço. Seja qual for o seu estilo musical preferido ou o seu nível de execução, temos a certeza de que um destes violões irá cair como uma luva para a sua realidade. 

Além da análise de cada instrumento, também explicamos os principais aspectos a serem observados na hora da compra, tudo para que a sua escolha seja a mais fácil possível. Bacana, né? Mãos à obra!

Melhores violões Tagima para comprar online

Veja abaixo a nossa lista dos melhores violões Tagima do mercado. Destacamos o modelo do produto e a principal qualidade de cada um. 

Imagem

Produto

Preço (R$)

1. Violão Memphis Tagima AC-60

✔️ Bom custo-benefício

2. Violão Memphis Tagima MD18 NS

✔️ Timbre equilibrado

3. Violão Memphis Tagima MD-20

✔️ Valor atraente

4. Violão Tagima Ottawa NC EQ

✔️ Tampo sólido

5. Violão Tagima Juninho Afram EQ

✔️ Ótima seleção de madeiras

1. Violão Memphis Tagima AC-60 

Prós

Contras

✅ Som delicado 

✅ Bom custo-benefício 

🚫 Som elétrico não é dos melhores

✅ Afinador embutido

Essa é uma bela opção para quem está começando a tocar e curte sonoridades como MPB, samba e peças eruditas.

O instrumento possui cordas de nylon, braço e corpo de linden com acabamento natural fosco, escala de technical wood e cavalete black walnut. Embora não seja das melhores, a captação piezo é satisfatória para pequenas apresentações. O pré-amplificador vem com afinador e equalização de quatro faixas de frequência.

A sonoridade do instrumento é delicada e agradável, fazendo desse violão uma boa opção em custo-benefício.

2. Violão Memphis Tagima MD18 NS

Prós

Contras

✅ Timbre equilibrado 

✅ Bom custo-benefício 

🚫 Tarraxas não são totalmente blindadas

✅ Cutway

Se você busca um violão folk barato, que seja elétrico e tenha um bom timbre, esse pode ser o modelo campeão.

Com uma pegada confortável, o instrumento possui braço e corpo de linden, além de escala na madeira rosewood. Ainda oferece cordas de aço e cutway, ideal para quem curte solar nas casas mais agudas.

O sistema de captação, por sua vez, apresenta afinador e equalizador de quatro bandas. Ok, mas e o som? É bem equilibrado e claro, sem frequências em demasia. O ponto fraco do instrumento, se é que podemos chamar assim nesse caso, são as tarraxas somente semiblindadas – não são ruins, mas poderiam ser melhores.

3. Violão Memphis Tagima MD-20

Prós

Contras

✅ Valor atraente

🚫 Som mediano 

✅ Cor diferenciada

Se você não tem a pretensão de fazer shows ou gravações em linha, esse modelo acústico pode ser bem-vindo no seu caso.

No formato folk, o violão é todo construído com a madeira linden – a exceção fica para a escala, que é de technical wood. A cor cherryburst é bem diferente e chamativa.

Com cordas de aço, apresenta um timbre de nível mediano, sem tanta projeção e volume, mas que cumpre o propósito. O preço de mercado pode ser considerado baixo.  

4. Violão Tagima Ottawa NC EQ

Prós

Contras

✅ Tampo sólido 

🚫 Preço elevado

✅ Som rico

✅ Captação Fishman 

Essa aqui é uma interessante alternativa para quem já tem experiência e busca um instrumento mais definitivo.

O instrumento tem cordas de nylon e um som bastante rico e encorpado, muito em função do tampo sólido de spruce. O corpo é de black walnut, enquanto o braço é de okoume com escala de chhlik wood.

Para completar, a captação piezo é de alta qualidade. O pré Fishman Presys II tem equalização e afinador, além de botão phase. Todas essas qualidades acabam encarecendo um pouco o produto, o que é natural.

5. Violão Tagima Juninho Afram EQ

Prós

Contras

✅ Excelente timbre 

🚫 Preço elevado

✅ Captação Fishman

✅ Ótima seleção de madeiras 

Esse instrumento é assinado pelo renomado músico Juninho Afram, conhecido pelo trabalho com a banda Oficina G3.

Tudo nesse violão foi pensado com carinho, começando pela ótima seleção de madeiras: corpo de sapele, tampo sólido de spruce, braço de okoume e escala de ébano com marcações personalizadas.

De quebra, o sistema de captação Fishman Presys II é capaz de levar o excelente timbre do instrumento a caixas de som externas, com recursos de equalização e afinação. O braço é muito confortável, e as tarraxas douradas com botões pretos são bastante estilosas.

O preço é puxado, mas trata-se de um instrumento para toda a vida.

Como escolher o melhor violão Tagima

Ao pesquisar modelos de violões, é muito importante atentar para alguns fatores que serão determinantes para uma compra acertada. A seguir, listamos e explicamos alguns deles.

Cordas

O primeiro passo para comprar um violão é definir qual o tipo de corda ideal, nylon ou aço. O encordoamento de nylon tem uma sonoridade suave e delicada, que casa muito bem para dedilhados e levadas com os dedos. É ideal para música popular brasileira, peças eruditas e samba, por exemplo. 

Já as cordas de aço apresentam um timbre mais brilhante e metálico, sendo muito boas para ritmos com palheta e solos, sem contar a técnica fingerstyle. Se você curte gêneros como pop, rock, blues, folk e country, pode ir sem medo em violões com encordoamento de aço.

Materiais

O segundo ponto é observar as especificações do violão para checar os materiais, incluindo as madeiras que foram utilizadas na construção do instrumento. 

Não precisa ser uma análise muito técnica – para facilitar, pontuamos aqui algumas madeiras comuns e de boa qualidade para violões: spruce, mogno, nato, sapele, koa, linden e rosewood. 

Lembre-se de que o formato e a espessura da caixa acústica também interferem no som. Em geral, quanto maior o corpo, mais volume e graves terá o violão. Outra dica: violões com tampo sólido são melhores que os com tampo laminado, mas são mais caros também. 

A afinação é outro ponto muito importante em um violão. Por isso, dê preferência para tarraxas completamente blindadas, normalmente mais resistentes.

Captação e recursos de ajustes 

Outro fator muito importante a ser analisado é a necessidade de captação. Você pretende usar o violão em pequenas apresentações ou gravações em linha? Se a resposta é não, opte por um violão acústico. Dessa forma, você economiza um bom dinheiro, já que o produto não terá o custo embutido do captador

Por outro lado, se você tem o objetivo de um dia fazer shows, então você precisa de um modelo eletroacústico, ou seja, que pode ser ligado a caixas de som externas. O tipo mais comum de captador para violão é o de rastilho (piezo), que vem acompanhado de um pré-amplificador com botões de ajuste. 

Quanto mais recursos o pré tiver, melhor. Dê preferência para pelo menos 3 bandas de equalização e afinador embutido, que aumenta muito a praticidade. Outros ajustes interessantes são os knobs chamados phase e notch, muito úteis para diminuir a possibilidade de feedback e ruídos ao vivo.

Visual

Seria mentira afirmar que o visual de um violão não é um fator determinante na hora da compra. Afinal de contas, um instrumento musical deve refletir a personalidade do artista, certo? 

Grande parte dos violões vem com acabamento clássico, na cor natural, que é muito estiloso. Mas também há exemplares pintados nas mais diversas cores – muitas vezes, o mesmo modelo está disponível em diferentes acabamentos, por isso dê uma olhada nas opções de cores no site do fabricante.

Conforto 

Esse é um item que só é possível averiguar corretamente com o violão em mãos, sendo que conforto muitas vezes é subjetivo. Por exemplo: um músico alto, com mãos grandes, pode preferir um braço mais gordo. Já o instrumentista que aplica técnicas avançadas normalmente prefere braços mais finos, que facilitam a execução. 

Para quem gosta de solar nas casas mais agudas, o cutway, aquele corte na parte de baixo do corpo, é muito bem-vindo. Até o verniz pode influenciar no conforto, já que braços com acabamento fosco têm a tendência de fazer as mãos “escorregarem” mais facilmente. 

Por fim, a regulagem do instrumento é crucial para o conforto. Muitas vezes, os violões vêm de fábrica com as cordas muito altas, dificultando a prática do instrumento. Recomenda-se que, assim que fizer uma nova aquisição, o músico leve o violão a um luthier para uma regulagem geral. Fique atento, porque algumas lojas já oferecem o serviço de regulagem como cortesia.

Perguntas frequentes 

Qual marca de violão é boa e barata?

Se você está buscando um violão de bom custo-benefício, saiba que as seguintes marcas são bastante recomendadas: Memphis, Tagima, Giannini, Yamaha, Strinberg, Crafter e Walden.

Qual a diferença de Memphis by Tagima para só Tagima?

A Memphis é uma linha de instrumentos que pertence à marca Tagima e que tem como objetivo oferecer instrumentos de entrada com boa qualidade. Na prática, seria uma espécie de submarca da Tagima com uma estratégia de mercado diferenciada.

Qual o melhor violão de nylon da Tagima?

O modelo Tagima Ottawa NC EQ, com tampo sólido, é um dos melhores violões de cordas de nylon da marca. Se você não tem muito dinheiro disponível, no entanto, dê uma olhada no Memphis Tagima AC-60, uma das melhores opções de compra para quem está começando.

Qual o melhor violão de aço da Tagima?

Sem dúvida, o violão Tagima Juninho Afram EQ é um excelente instrumento, com ótima seleção de madeiras. Porém, para quem está com orçamento apertado, recomendamos o modelo Memphis Tagima MD18 NS, um dos melhores violões de aço em custo-benefício.

Como saber se o violão é bom?

Se o violão é confortável, segura bem a afinação e tem um som agradável, fique tranquilo, pois se trata de um bom instrumento.

O que é cutway em um violão?

Trata-se de um corte na parte inferior da caixa acústica do violão. Esse recurso facilita bastante a vida do músico que gosta de solar nas últimas casas, por exemplo.

Violão elétrico é melhor que acústico?

Não há melhor ou pior, são violões com propostas diferentes. O violão elétrico possui captador para ser conectado a caixas de som, recurso necessário para quem faz apresentações, por exemplo. Já o acústico não tem captador, sendo ideal para quem toca em casa ou em pequenas rodas de amigos.

Conclusão: qual o melhor violão Tagima

E aí, empolgado para comprar o seu violão Tagima? Depois de ler este artigo especial, temos a certeza de que você está capacitado para fazer uma escolha acertada. Para fechar, que tal recapitularmos o que aprendemos hoje? Vamos lá! 

Antes de comprar um violão, primeiramente é preciso definir o tipo de cordas ideal: nylon ou aço. Depois, analise os materiais presentes no violão, como o formato do corpo, madeiras e tarraxas, para saber se o instrumento é bem construído. Outro fator importante a ser definido é a necessidade de captação. Por fim, selecione um modelo cujo visual lhe agrade. 

A Tagima é uma das principais fabricantes de violão presentes no mercado brasileiro, com longa história e uma reputação positiva. A empresa possui uma vasta linha de instrumentos, que atendem tanto ao músico iniciante quanto ao avançado. A seguir, destacamos alguns dos melhores violões da Tagima. 

Se você está começando e prefere as cordas de nylon, o violão Memphis Tagima AC-60 é uma das melhores opções de compra do mercado. Para o músico mais experiente, o modelo Tagima Ottawa NC EQ tem excelente sonoridade devido ao tampo sólido. 

Já se a sua praia é o som brilhante e metálico das cordas de aço, o violão Memphis Tagima MD18 NS apresenta preço bastante atraente, com sonoridade equilibrada. Para quem pode gastar mais, o modelo signature Tagima Juninho Afram EQ é um dos tops da categoria. 

É isso, amigos e amigas! Por hoje, é só. Até a próxima! Um abraço e bons sons.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *