Início » O Violão Tagima é Bom? Vale a Pena?
Violão Tagima é bom?

O Violão Tagima é Bom? Vale a Pena?

Antes de tudo, é importante ressaltar que o mercado de instrumentos musicais não para de crescer. Sendo assim, surgem novas marcas e dúvidas sobre os produtos oferecidos. Portanto, vamos te ajudar com a questão: O violão Tagima é bom? Vale a pena? 

Além disso, vamos examinar outros instrumentos compatíveis, que podem ser uma boa alternativa ao violão Tagima. Podemos adiantar que estamos analisando uma ótima marca. Leia o artigo até o final para descobrir qual será o ideal para você. 

Sobre a Tagima

Em 1986, o luthier Seizi Tagima fundava a sua marca de instrumentos de corda. Ele era o responsável por fabricar, pelo método artesanal, ótimos violões. Em 1996, a Marutec Music adquiriu do artesão brasileiro e, desde então, as guitarras, baixos e tantos outros começaram a ser construídos em escala industrial. 

Num primeiro momento, a Tagima, através da Marutec Music, quis se consolidar como uma marca nacional. Mas, em pouco tempo, as guitarras da empresa já rodavam pelo mundo. A linha Memphis é conhecida em todos os cantos do planeta. 

Hoje, a Tagima é considerada a primeira marca de guitarra brasileira a produzir em escala mundial. Nesse sentido, a empresa possui fábricas na América do Sul, Estados Unidos e China. Dentre os principais instrumentos, podemos destacar o violão, o baixo, o ukulele e acessórios, como os afinadores. 

Como saber se o violão Tagima é bom?

Pode parecer fácil, mas verificar a qualidade de um instrumento musical é uma tarefa difícil. No entanto, graças a internet, temos mais facilidade para saber se o violão Tagima é de qualidade. Os motores de busca, como Google e Youtube, são capazes de responder qualquer pergunta. 

Para tal, basta pesquisar sobre a qualidade do violão Tagima e você encontrará muito material para analisar. Mesmo assim, é um ótimo meio para obter informações específicas. Sobre as gerais, os sites de avaliações são ótimos aliados. 

No portal Reclame Aqui, um dos maiores sites de avaliações feito por consumidores no país, a Tagima tem uma nota surpreendente. Além de responder todas as reclamações, 87,5% dos clientes afirmam que voltariam a fazer negócios com a empresa. Como se não bastasse, a fábrica de violões tem nota 9.5, um índice que impõe respeito. 

1.  Violão Acústico – Tagima

Violão Acústico - Tagima

Prós

Contras

✅ Indicado para músicos iniciantes 

🚫 Frágil  

✅ Leve

🚫 Pouca projeção sonora 

Em primeiro lugar, vale frisar que o Violão Acústico Memphis AC39 é o instrumento de entrada da Tagima. É o tipo mais indicado aos músicos iniciantes. Para facilitar, o encordoamento de nylon ajuda na tocabilidade e produz timbres suaves. 

É um violão do tipo clássico, com 20 trastes e tarraxas douradas. É o mais indicado para música erudita, samba, choro, bossa nova, reggae, dentre outros estilos musicais. Por ser leve, pode atender muito bem as crianças acima dos 9 anos. 

Sobre a construção, todo o instrumento é feito com madeira Linden, a mais utilizada na linha básica da fabricante. O acabamento em verniz brilhante e a cor preta é um diferencial deste instrumento. O Violão Acústico Tagima é bom para iniciantes, mas não é recomendado para profissionais.  

Ficha técnica:

  • Tipo Clássico
  • Tarraxas Niqueladas
  • Madeira Linden
  • Acabamento Verniz Brilhante 
  • Encordoamento: Nylon
  • Trastes: 20
  • ‎100 x 30 x 5 cm; 2 Kg

Alternativas para Violão Tagima

Ainda que seja um violão bom, bonito e barato, o Tagima não é a única opção do mercado. Além dos instrumentos da própria fabricante, a Giannini é outra alternativa. Produz ótimos produtos musicais, em especial os de corda. 

Tanto a Giannini, como a Tagima, são conhecidas em todo mercado brasileiro. Todo violonista já ouviu falar sobre uma das duas marcas. Agora, vamos analisar as duas alternativas ao violão acima, o 14N, da Giannini e o AC39 Natural, da empresa fundada pelo luthier Seizi. 

1. Violão Acústico Estudo Nylon – Giannini

Violão Acústico Estudo Nylon - Giannini

Prós

Contras

✅ Indicado para músicos iniciantes 

🚫 Frágil  

✅ Leve

✅ Timbre bem definido

Antes de tudo, o Violão Acústico Estudo Nylon, da Giannini, é do tipo clássico, assim como o da Tagima. Sobre o preço, o primeiro é um pouco mais caro, mas é um pouco melhor. O 14N é um instrumento conhecido pelos estudantes, principalmente por aqueles que tocaram suas primeiras canções nele. 

Outro ponto em comum, é a construção em Linden. Tanto o Tagima como o Giannini usam a mesma madeira. No entanto, o segundo usa Dark Maple na escala e Catalpa no braço. 

Por fim, o acabamento é em verniz brilhante aplicado direto no instrumento. O resultado é uma cor natural e reluzente. O Violão Giannini é uma ótima alternativa ao Tagima, e ainda pode atender os músicos intermediários

Ficha técnica:

  • Tipo Clássico
  • Tarraxas Niqueladas
  • Madeira Linden
  • Acabamento Verniz Brilhante 
  • Encordoamento: Nylon
  • Trastes: 19
  • ‎‎13 x 47 x 102 cm; 1.7 kg

2. Violão Estudante Acustico Nylon Natural – Tagima

Violão Nylon Natural - Tagima

Prós

Contras

✅ Indicada para músicos principiantes 

🚫 Tarraxas instáveis 

✅ Stratocaster

✅ Acompanha alavanca de tremolo

🚫Timbre agudo nos captadores do braço

Por fim, vamos analisar outro violão da Tagima. Apesar de ser um Memphis AC39, este instrumento tem especificações diferentes. Além disso, o acabamento em verniz brilhante destaca a cor natural da madeira, deixando-o com um outro aspecto. 

É um violão com encordoamento de nylon e 20 trastes. No entanto, a construção utiliza outras madeiras, como a Bass Wood na faixa e no fundo e a Spruce no tampo. Além disso, as tarraxas douradas niqueladas são precisas na hora de afinar o instrumento. 

Apesar das semelhanças, este instrumento é um pouco mais leve e um pouco maior que o primeiro que analisamos. Pode atender tanto os músicos iniciantes, como os intermediários e ainda quebrar o galho dos profissionais. O violão Tagima é uma ótima alternativa

Ficha técnica:

  • Tipo Clássico
  • Tarraxas Douradas
  • Faixa Bass Wood 
  • Acabamento Verniz Brilhante 
  • Encordoamento: Nylon
  • Trastes: 20
  • ‎10 x 37.5 x 100 cm; 1.5 Kg

Conclusão: O violão Tagima é bom ou não?

Antes de finalizar, cabe reforçar que a Tagima é uma marca brasileira, a primeira a exportar guitarras e fabricar em escala industrial. É uma ótima empresa e, além de tudo, é recomendada pelos seus clientes. Seus instrumentos podem atender desde o músico principiante até o avançado. 

Por fim, as alternativas analisadas, ou seja, o N-14 da Giannini e o Memphis AC39 são ótimas opções. Além disso, também são do tipo clássico e usam encordoamento de nylon. Sendo assim, o violão Tagima é bom e vale a pena, bem como as outras opções apresentadas. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.