Início » As 8 Melhores Mesas de Som em 2022

As 8 Melhores Mesas de Som em 2022

A mesa de som é um item indispensável para quem trabalha com áudio – bandas, igrejas, empresas, estúdios, eventos, festas, DJs e por aí vai… Nesse sentido, preparamos este artigo especial com algumas das melhores mesas de som disponíveis no mercado. 

Ao todo, selecionamos 9 modelos à venda na internet. Analisamos cada produto, pontuando seus prós e contras. Além disso, explicamos de forma detalhada as principais características que diferenciam uma mesa de som de outra. Dessa forma, você terá total condições de escolher o equipamento que melhor se adequa à sua realidade. 

Uma vez que fizemos essa breve introdução, chegou a hora de conferir as análises feitas pela nossa equipe. Vamos lá!

Melhores mesas de som para comprar online

Primeiramente, veja abaixo a nossa lista com algumas das melhores mesas de som disponíveis no mercado atualmente. Você pode conferir a marca e o modelo do lado esquerdo, enquanto do direito destacamos a principal qualidade dos produtos para facilitar a comparação inicial. 

1. Mesa de som 502 – Behringer

  •  Mesa de som 502 - Behringer
  •  Mesa de som 502 - Behringer

Prós

Contras

✅ Analógica

🚫 Poucos recursos e conexões

✅ Compacta

✅ Baixo preço

Essa mesa de som analógica de pequeno porte tem um preço bastante atraente e cai muito bem para aplicações básicas, sem grande complexidade.

Apresenta uma única entrada para microfone e cinco entradas de nível de linha, com direito a conexões estéreo para a utilização de teclados e gravadores, entre outros equipamentos. O canal com plugue XLR conta com phantom power e equalização de graves e agudos. 

Devido ao fato de ser analógica, essa pequena mesa tem um som bastante fiel e natural. Porém, por conta da proposta simples, não apresenta botões solo e mute, loops e inserts, nem efeitos embutidos. 

2. Mesa de som 1202FX – Behringer

  •  Mesa de som 1202FX - Behringer
  •  Mesa de som 1202FX - Behringer

Prós

Contras

✅ 12 canais

🚫 Ausência de solo e mute 

✅ Efeitos embutidos

✅ Botão low cut

Aqui está uma mesa de som da mesma linha da anterior, mas com mais recursos e canais – claro, o preço é mais elevado também, mas ainda assim um valor justo

O equipamento é analógico e tem um som orgânico. Ao todo, apresenta 12 canais, sendo 4 para microfone. Os outros são para ligação em linha, com possibilidade de conexão estéreo. Os canais com entrada XLR têm equalização de 3 bandas e botão low cut, que corta os subgraves que embolam o som. 

Além disso, a mesa possui alimentação phantom power e vários efeitos embutidos, incluindo reverb, flanger, delay e chorus. Também apresenta conexão FX send, ideal para efeitos externos. No entanto, não oferece botões de solo e mute. 

Com todas essas características, é uma das melhores mesas de som para bandas que ensaiam e fazem shows regularmente, por exemplo.

3. Mesa de som QX1202USB – Behringer

  • Mesa de som QX1202USB - Behringer
  •  Mesa de som QX1202USB - Behringer

Prós

Contras

✅ 12 canais

🚫 Ausência de solo e mute 

✅ Conexão USB

✅ Compressor

Essa unidade analógica é praticamente idêntica à anterior, mas conta com alguns diferenciais importantes. 

Além dos 12 canais, equalização de 3 bandas, botão low cut e alimentação phantom power, o equipamento trabalha com um compressor para as entradas XLR. Além disso, apresenta conexão USB, o que facilita o uso com computadores, por exemplo. 

Para completar, tem efeitos embutidos e plugue FX send, mas não possibilita solar ou mutar os canais. O preço de mercado pode ser considerado médio. 

4. Mesa de som LE-709 – Lelong

  • Mesa de som LE-709 - Lelong
  •  Mesa de som LE-709 - Lelong

Prós

Contras

✅ 7 canais

🚫 Ausência de solo e mute 

✅ Conexão USB e bluetooth

✅ Bom custo-benefício

Essa mesa de som apresenta conexão USB e bluetooth, podendo ser utilizada como interface de áudio e com dispositivos móveis. 

Oferece 7 canais, sendo 5 para microfone (XLR), que contam com equalizador de graves, médios e agudos. A mesa também possui phantom power para microfones condensadores, leitor de MP3 embutido e visor LED. 

Além disso, tem 16 efeitos internos, inserts e plugue auxiliar, com preço bastante atrativo. Vale a pena mencionar que os canais não têm recurso de solo e mute. Mesmo assim, trata-se de uma das melhores mesas de som em custo-benefício do mercado.

5. Mesa de som REC4 – Lexsen

  •  Mesa de som REC4 - Lexsen
  • Mesa de som REC4 - Lexsen

Prós

Contras

✅ Portátil

🚫 Sem inserts e auxiliares

✅ Conexão USB e bluetooth

✅ Preço baixo

Com essa mesa de som analógica de 4 canais, o usuário dispõe de uma entrada de microfone com alimentação phantom power e equalização de 2 bandas. Há também um canal para conexão de guitarra e duas entradas estéreo P10, que podem ser ligadas a um teclado ou outro dispositivo. 

Além do mais, o mixer tem entrada MP3 e conexões USB e bluetooth, que trazem muita praticidade. Um efeito de delay também está presente, assim como botões mute para os canais. Não oferece inserts e auxiliares. 

O tamanho é pequeno e o preço é baixo, sendo uma das melhores mesas de som para quem não quer gastar muito. 

6. Mesa de som SX602FX – Soundcraft

  • Mesa de som SX602FX - Soundcraft
  •  Mesa de som SX602FX - Soundcraft

Prós

Contras

✅ 6 canais

🚫 Ausência de solo e mute

✅ Conexão USB

✅ 16 presets de efeitos

Esse produto é uma mesa de som com sistema analógico que tem como extras a reprodução de arquivos MP3 por meio de conexão USB. 

O equipamento conta 6 canais, todos com equalização de 3 bandas. Há duas entradas XLR para microfones com recurso low cut, dois canais com entradas estéreo e um auxiliar. A mesa ainda dispõe de alimentação phantom power, 16 presets de efeitos digitais e FX send.

Não há conversão de sinal nessa mesa, o que preserva as características originais do áudio. Não há também botões de solo e mute, porém o valor de mercado é justo para o que o equipamento oferece.

7. Mesa de som MG12XUK – Yamaha

  • Mesa de som MG12XUK - Yamaha

Prós

Contras

✅ Marca renomada

🚫 Preço elevado

✅ 12 canais

✅ Efeitos embutidos

A Yamaha é uma das principais marcas de instrumentos e equipamentos musicais, por isso não poderia faltar uma mesa de som da empresa em nossa lista. 

Esse produto analógico tem pré-amplificadores de qualidade de estúdio, com 12 canais no total. Há 6 entradas para microfone, que contam com equalizador de 3 bandas. A mesa oferece alimentação phantom power e compressor, além de conexão auxiliar para utilização de efeitos externos. 

Além disso, possui 24 FXs embutidos, incluindo delay, reverb, gate, phaser, flanger, chorus e outros. Também tem uma porta USB de gravação e reprodução de áudio, podendo ser conectada a dispositivos móveis. 

O preço é o mais alto de nossa lista, mas isso não impede que esse produto esteja entre as melhores mesas de som para igrejas e casas noturnas, por exemplo.   

8. Mesa de som M6 – Lexsen

  • Mesa de som M6 - Lexsen
  •  Mesa de som M6 - Lexsen

Prós

Contras

✅ 6 canais

🚫 Ausência de solo e mute

✅ Conexão USB

✅ 16 presets de efeitos

Com 6 canais, essa mesa de som analógica tem um tamanho reduzido e preço bastante convidativo. Oferece 2 entradas de microfone com possibilidade de alimentação phantom power e 2 bandas de equalização. Os demais canais têm entrada de linha estéreo. 

O mixer ainda tem 16 efeitos DSP, display LCD, entrada MP3 e conexão bluetooth, conseguindo reproduzir o áudio de um dispositivo externo. Vale mencionar que a mesa vira uma interface de gravação ao conectar o plugue USB a um computador

Devido ao tamanho compacto, o fabricante optou por não incluir botões de solo e mute aos canais. 

Para que serve a mesa de som?

Mesa de som ou mixer é um equipamento importantíssimo para quem trabalha com áudio. Ela é uma espécie de “central de controle” que recebe os sons de várias fontes diferentes e os trata de forma individual por meio de seus canais. Logo em seguida, ela é capaz de juntar todos os áudios e enviar um sinal estéreo tratado para caixas de som externas ou um computador, por exemplo. 

Na mesa de som, é possível balancear os volumes de cada canal, ajustar a equalização e o pan, inserir efeitos e gerar alimentação para alguns tipos de microfones, entre outros atributos. Ou seja, ela apresenta diversos recursos essenciais para quem mexe com áudio.

Como escolher a melhor mesa de som

Em um primeiro momento, as mesas de som podem ser complicadas de entender. Isso se deve ao fato de elas apresentarem muitos botões de ajustes – mas fique tranquilo, porque explicaremos a seguir as principais características das mesas de som. 

Antes de mais nada, é preciso ter em mente que há duas categorias básicas de mesas de som: as analógicas e as digitais. 

Mesas analógicas  

As mesas de som analógicas foram as primeiras construídas e têm como grande ponto positivo a sonoridade orgânica. Elas não apresentam conversão digital, ou seja, o áudio possui grande fidelidade.

Muitos músicos e engenheiros de som afirmam que o som das mesas analógicas é mais quente e macio do que o das digitais, trazendo uma “cola” diferenciada aos diversos canais. Por esse motivo, esse é o tipo de mesa mais comum em estúdios de gravação. 

Quando apresentam muitos canais, as mesas de som analógicas podem ser bastante grandes e pesadas. Normalmente, esse tipo de equipamento requer manutenção e limpeza periódica, mas a troca de componentes é mais fácil do que em uma mesa digital.

Mesas digitais

Por outro lado, as mesas digitais são mais modernas e oferecem recursos muito práticos, como visor LCD, ampla gama de efeitos, possibilidade de memorizar regulagens etc. Além disso, as melhores mesas de som digitais podem ser conectadas a notebooks para maior tratamento do som e a celulares ou tablets para controle a distância. 

No entanto, como há conversão de sinal, muitos usuários relatam que o som das mesas digitais é mais genérico do que o das mesas analógicas. Em outras palavras, é um sinal limpo, mas que carece de personalidade. Isso é importante para quem trabalha em estúdios de gravação, mas não tão essencial para eventos ao vivo, por exemplo. Muitas mesas digitais apresentam conexão USB e podem trabalhar com plugins. 

Em relação ao tamanho, geralmente são menores e mais leves do que as analógicas, pois podem utilizar o mesmo painel de controle para vários canais, economizando espaço e componentes. Em relação à manutenção, oferecem maior dificuldade de troca de peças do que as mesas analógicas.

Número de canais

Após definir se a sua mesa de som será digital ou analógica, o próximo passo é determinar o número de canais ideal para a sua realidade. Nesse quesito, é possível encontrar mesas de som a partir de 2 canais individuais, chegando até a 64 em alguns modelos altamente profissionais. 

Exemplo prático: uma corporação que usa um ou dois microfones em palestras necessitará de uma mesa com poucos canais, enquanto uma banda com vários integrantes e instrumentos necessitará de maior quantidade. 

Por isso, pergunte a si mesmo: para que vou usar a mesa de som? Quantos microfones ou instrumentos vou conectar ao mesmo tempo? Com essas respostas, será fácil definir a quantidade de canais ideal.

Equalizadores

Outro ponto muito importante é a quantidade de ajustes de frequência para cada canal. As mesas de som mais baratas normalmente oferecem duas bandas de equalização, graves e agudos, com frequências predefinidas. Ou seja, só é possível ajustar o ganho dessas frequências já estabelecidas. Isso não é o ideal para quem deseja ter total controle do som, mas cobre a maioria das aplicações práticas. 

Em contrapartida, as mesas de som mais completas oferecem equalizadores que abrangem no mínimo três bandas: graves, médios e agudos. Outros modelos vão além, sendo possível escolher a exata frequência a ser alterada. Essa característica traz muita autonomia e liberdade ao técnico de som, mas pode confundir os usuários menos experientes.

Phantom Power

Microfones condensadores, ao contrário dos dinâmicos, possuem alta sensibilidade e clareza sonora, necessitando de uma alimentação especial chamada phantom power (+48v). Por isso, se você deseja utilizar microfones condensadores conectados à sua futura mesa de som, certifique-se de que o modelo escolhido possui phantom power embutido. 

Nota: ao usar a mesa de som, sempre deixe a alimentação +48v desligada e tenha a certeza de que o microfone condensador já está conectado ao canal antes de ligar o phantom power.  

Amplificação, Efeitos e Conexões

Como sugere o nome, uma mesa de som amplificada já possui um amplificador embutido devidamente dimensionado. Dessa forma, o equipamento dispensa a necessidade de um amplificador externo, podendo ser conectado diretamente a caixas de som passivas. Para saber se determinada mesa de som é amplificada, basta olhar o manual do produto. 

Falando de efeitos, muitas mesas de som contam com delay e reverb, por exemplo, o que dá um molho extra ao som. Porém, nos modelos mais básicos, não há muita liberdade de regulagem para esses efeitos. Já nas mesas de som digitais de alta qualidade, os efeitos trazem muitos controles e recursos. 

Em relação às conexões, a presença de loops e inserts é bastante positiva para os que desejam adicionar efeitos externos à mesa de som. Além disso, saídas auxiliares também são úteis no cotidiano, podendo distribuir o sinal a várias caixas de som, um gravador adicional, um computador etc.

Tamanho e peso

Antes de adquirir uma mesa de som, planeje o local onde ela será instalada. Isso evitará que você compre um equipamento maior do que o espaço disponível. Outra dica é procurar o peso do produto nas especificações, pois, caso a mesa precise ser transportada constantemente, é melhor optar pelas unidades mais leves.

Perguntas frequentes

Quais as marcas de mesa de som?

Há muitas marcas de mesa de som presentes no mercado brasileiro, das quais se destacam nomes como Yamaha, Soundcraft, Behringer, Mackie, Lelong, Lexsen, Stetsom, Arcano e Tascam.

Qual mesa de som ideal para igreja?

Para igrejas, uma mesa de som de pelo menos 12 canais garante que os instrumentos de uma banda convencional possam ser amplificados nas caixas de som, além dos microfones dos pregadores. Se a mesa for digital e possibilitar o armazenamento de regulagens em sua memória, melhor ainda. 

Como escolher uma boa mesa de som?

Antes de mais nada, defina se prefere uma mesa digital ou analógica. A primeira traz mais recursos, enquanto a segunda tem um som mais orgânico. Em seguida, determine o número de canais necessários, assim como de equalizadores. Prefira os modelos com phantom power e efeitos embutidos, que dão mais versatilidade ao técnico de som.  

Qual é a melhor marca de som profissional?

Algumas das melhores marcas de som profissional são JBL, Yamaha, Soundcraft, Behringer e Mackie, entre outras. 

Como saber se a mesa de som é amplificada?

Uma mesa de som amplificada, como sugere o nome, já possui um amplificador embutido devidamente dimensionado para o equipamento. Com isso, ela dispensa a necessidade de um amplificador externo, podendo ser ligada diretamente a caixas de som passivas. Para saber se uma mesa de som é amplificada, olhe o manual do produto.

Para que serve uma mesa de som?

A mesa de som é uma espécie de “central de controle” que recebe sons de diversas fontes e os trata de maneira individual, entregando um sinal estéreo final para caixas de som ou um computador, por exemplo. Por meio de seus canais, a mesa de som permite balancear os volumes, ajustar a equalização e inserir efeitos aos áudios recebidos.

Conclusão: qual a melhor mesa de som

Chegamos ao fim do nosso artigo. Se você ainda está se perguntando quais as melhores mesas de som do mercado, vamos fazer um resuminho para você. 

Entre os mixers compactos e baratos, destacamos os seguintes modelos: Behringer 502, Lelong LE-709, Soundcraft SX602FX, Lexsen REC4 e Lexsen M6. Essas são algumas das melhores mesas de som em custo-benefício do mercado. 

Por fim, precisam de um pouco mais de canais, recomendamos as mesas de som Behringer 1202FX e Behringer QX1202USB, que apresentam recursos interessantes e valor justo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.